sábado, 8 de outubro de 2016

Sem regresso...

http://24.sapo.pt/ de 8 de Outubro de 2016
..................................................................................................

Ao ler esta notícia fiquei a pensar que Portugal que não segurou os seus naturais começou a perder o seu "sangue" no momento em que, sem lhe poder dar condições dignas de viver, os expatriou para outros lados que os souberam acolher, pelo que, muito embora eu saiba que o Mundo está globalizado, a perda dos "sem regresso" devia ser uma tragédia nacional que devia tocar no coração e sentimentos dos políticos que temos tido, que fizeram uma Revolução e não conseguiram revolucionar a Economia por forma a que os emigrantes que já andavam "nas danças e araganças" de meios estranhos e os que se lhe seguiram, não tivessem como sentem hoje, o desejo de continuarem ausentes das suas raízes.

Mas, por cá, até parece que andamos todos contentes agarrados ao cumprimento de um défice enquanto continuamos a engordar a dívida pública, possivelmente, uma das razões que leva os portugueses emigrados a não regressar com medo de terem de ajudar a pagar uma dívida de que não são culpados... e, muito menos, os filhos que já nasceram nas Pátrias que não lhe foram tão madrastas como a Pátria que viu partir os seus pais.

Sem comentários:

Enviar um comentário