domingo, 18 de fevereiro de 2018

I Domingo da Quaresma - 18 de Fevereiro de 2018



Evangelho de São Marcos (1,12-15)

Naquele tempo, o Espírito Santo impeliu Jesus para o deserto. Jesus esteve no deserto quarenta dias e era tentado por Satanás. Vivia com os animais selvagens e os Anjos serviam-n’O. Depois de João ter sido preso, Jesus partiu para a Galileia e começou a pregar o Evangelho, dizendo: «Cumpriu- se o tempo e está próximo o reino de Deus. Arrependei-vos e acreditai no Evangelho.


Jesus - que era Deus - na sua recolecção no deserto viu-se às voltas com Satanás, a força do mal, pelo que este passo de que o evangelista São Marcos nos dá conta neste I Domingo da Quaresma leva o meu pensamento de leigo defensor das Verdades da Igreja fundada por Jesus Cristo e seus Apóstolos a ter em conta as tentações a que me sujeito se não tiver o meu Anjo da Guarda a defender-me dos muitos Satanás que andam à solta todos os dias.

Vale a pena deter-me - e se me é permitido convidar todos os que tiverem a paciência  de ler o que escrevo - acentuar que nos devemos fixar neste aspecto da tentação, porque hoje ou amanhã, ela que tem uma força que nos quer dominar precisa de ser contrariada pela força que Deus nos dá se estivermos atentos, imitando Jesus, que vencida a força do mal  partiu para a Galileia - terra dos seus amigos Pedro, André, Tiago, João e Filipe - e ali, ao ter entendido que chegara a hora de começar o seu Ministério Divino por estar próximo o reino de Deus, deu início à sua Missão com um pregão de Amor entre os homens que durou três anos, mas que vai continuar até à consumação dos Tempos.

Este tempo quaresmal é um convite que Ele nos faz para que entre nós - o seu pregão de Amor - se faça sentir.

É, ainda, um motivo de reflexão o facto de Jesus após ter deixado o deserto ter ido à procura dos seus amigos, dando-nos assim, um sinal, que é em cima das tentações do mundo que devemos procurar os nossos amigos e partilhar com eles as nossas vitórias sobre o mal, como aconteceu com Jesus que naquela cena do deserto tomou para si a parte humana da sua existência e só, depois, a parte transcendente que ele trazia para reconduzir os homens à aceitação do Deus-Eterno.

E aconteceu, assim, que depois da Vitória sobre Satanás que O queria desviar da sua Mensagem, procurou os amigos mais próximos para junto deles e com a força deles partir para encetar o Caminho que destinou a todos os homens onde a Verdade das suas Palavras e a Vida que elas tinham continuem nesta tríade de Amor a indicar rotas e destinos a cumprir.

Assim nós queiramos!

Sem comentários:

Enviar um comentário